Sunday, November 23, 2008


"Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu
nem houve estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.
As nuvens não se espantaram,
não enloqueceu ninguém...

P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha mãe."


(Sebastião da Gama)


Quando eu nasci, era manhã de domingo
Dia quente de janeiro
Na casa simples, bucólica
minha mãe me esperava,
cercada pela parteira...

Tuesday, November 18, 2008

A lei do palhaço

A lei do palhaço

"Conta certa história que, numa determinada cidade, apareceu um circo. Entre os seus artistas havia um palhaço com um poder de divertir, sem medida, as pessoas da platéia. O riso que provocava era tão bom, tão profundo e natural que se tornava terapêutico. Todos os que padeciam de tristezas agudas ou crônicas passaram a ser indicados pelo médico do lugar para assistirem ao tal artista, que ele mesmo tinha visto atuar e que possuia o dom de fazer reduzir ou até mesmo eliminar angústias.

Um dia, porém, um morador desconhecido, tomado de profunda depressão, procurou o médico. Este, sem relutar, indicou o circo como o lugar de cura de todos os males daquela natureza, de abrandamento de dores da alma, de iluminação de todos os cantos escuros de um "jeito perdido" de ser, de tristezas com ou sem causa. O homem nada disse, levantou-se, caminhou em direcção à porta e quando já estava saindo, virou-se, olhou o médico nos olhos e sentenciou:

"Não posso procurar o circo... aí está o meu problema: eu sou o palhaço!"

Sunday, November 9, 2008

Pensamentos

"O verdadeiro professor defende os seus alunos contra a sua própria influência".
Amos Alcott



"Minorias criativas e dedicadas quase sempre tornam o mundo melhor."
(Martin Luther King)

"Ensinam-se os homens a pedir desculpas por suas fraquezas e as mulheres, a pedir desculpas por suas forças." (Lois Wise)


"Os homens apressam-se mais em retribuir um dano do que um benefício, porque a gratidão é um peso e a vingança um prazer". (Tácito)

" Tolo é aquele que naufragou duas vezes seus navios e continua culpando o mar..."
(Publilus Syrus - poeta italiano)


"Hipótese é uma coisa que não é, mas a gente faz de conta que é, pra ver como seria se ela fosse."
(não sei de quem é)

"Reaja inteligentemente mesmo a um tratamento não inteligente."
(Lao-Tse)

"Quando você julga os outros, não os define, define a si mesmo."
(Wayne W. Dyer)

"Dificuldades reais podem ser resolvidas; apenas as imaginárias são insuperáveis."
(Theodore N. Vail)

"... e nem entendo aquilo que entendo: pois estou infinitamente maior que eu mesma, e não me alcanço!''
(Clarice Lispector)

"A única verdade é que vivo. Sinceramente, eu vivo. Quem sou? Bem, isso já é demais...."
(Clarice Lispector)

"A memória é algo cheio de truques e esquecer significa, freqüentemente, o meio pelo qual a mente se defende contra dores passadas e remorsos por oportunidades perdidas. "
(Irwin Shaw)

"Os espíritos tranqüilos não se confundem, continuam em seu ritmo próprio na ventura ou na desgraça, como os relógios durante as tempestades."
(Robert Louis Stevenson)

"Não há progresso sem mudança. E, quem não consegue mudar a si mesmo, acaba não mudando coisa alguma. "
(George Bernard Shaw)

"Tudo o que dorme é criança de novo. Talvez porque no sono não se possa fazer mal, e se não dá conta da vida, o maior criminoso, o mais fechado egoísta é sagrado, por uma magia natural, enquanto dorme. Entre matar quem dorme e matar uma criança não conheço diferença que se sinta."
(Fernando Pessoa)

"Antes de sermos pais e mães, somos seres humanos, passíveis de falhas e erros.... então, a única coisa que podemos aconselhar aos nossos filhos, através de experiência já vivenciada, é como não repetirem os nossos erros."
(Claudia Belucci)

"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."
(Fernando Pessoa)

"O verdadeiro professor defende os seus alunos contra a sua própria influência".
(Amos Alcott)

"Há pessoas que são "unicamente como a roseira e o cardo que picam e arranham apenas porque não podem de outra forma proceder..." (Bacon)

" A experiência do perdão e reconciliação é uma das mais sublimes pelas quais um ser humano pode passar.

Há algo de sagrado no ato de perdoar.

Nunca o homem é tão parecido com Deus quanto na hora em que perdoa.

Esse ato abençoa, restaura e reaproxima.
O perdão é um remédio eficaz para todos os males da alma!"

"Não és bom porque te louvam, nem desprezível porque te censuram; és o que és, e o que poderão dizer de ti, não te fará melhor do que vales aos olhos de Deus."
(Autor desconhecido)

Saturday, November 8, 2008

Grandes são os desertos

ÁLVARO DE CAMPOS

Grandes são os desertos, e tudo é deserto.
Não são algumas toneladas de pedras ou tijolos ao alto
Que disfarçam o solo, o tal solo que é tudo.
Grandes são os desertos e as almas desertas e grandes -
Desertas porque não passa por elas senão elas mesmas,
Grandes porque de ali se vê tudo, e tudo morreu.

Grandes são os desertos, minha alma!
Grandes são os desertos.

Não tirei bilhete para a vida,
Errei a porta do sentimento,
Não houve vontade ou ocasião que eu não perdesse.
Hoje não me resta, em vésperas de viagem,
Com a mala aberta esperando a arrumação adiada,
Sentado na cadeira em companhia com as camisas que não cabem,
Hoje não me resta (à parte o incômodo de estar assim sentado)
Senão saber isto:
Grandes são os desertos, e tudo é deserto.
Grande é a vida, e não vale a pena haver vida,

Arrumo melhor a mala com os olhos de pensar em arrumar
Que com arrumação das mãos factícias (e creio que digo bem).
Acendo o cigarro para adiar a viagem,
Para adiar todas as viagens,
Para adiar o universo inteiro.

Volta amanhã, realidade!
Basta por hoje, gentes!
Adia-te, presente absoluto!
Mais vale não ser que ser assim.

Comprem chocolates à criança a quem sucedi por erro,
E tirem a tabuleta porque amanhã é infinito.

Mas tenho que arrumar a mala,
Tenho por força que arrumar a mala,
A mala.
Não posso levar as camisas na hipótese e a mala na razão.
Sim, toda a vida tenho tido que arrumar a mala.
Mas também, toda a vida, tenho ficado sentado sobre o canto das camisas empilhadas,
A ruminar, como um boi que não chegou a Ápis, destino.

Tenho que arrumar a mala de ser.
Tenho que existir a arrumar malas.
A cinza do cigarro cai sobre a camisa de cima do monte.
Olho para o lado, verifico que estou a dormir.
Sei só que tenho que arrumar a mala,
E que os desertos são grandes e tudo é deserto,
E qualquer parábola a respeito disto, mas dessa é que já me esqueci.

Ergo-me de repente todos os Césares.
Vou definitivamente arrumar a mala.
Arre, hei de arrumá-la e fechá-la;
Hei de vê-la levar de aqui,
Hei de existir independentemente dela.

Grandes são os desertos e tudo é deserto,
Salvo erro, naturalmente.

Pobre da alma humana com oásis só no deserto ao lado!

Mais vale arrumar a mala.
Fim.